subscribe

Estatísticas

Encomendada pelo Sexônico, esta pesquisa foi realizada em Janeiro de 2013 pelo Departamento de Marketing da ABEME, Associação Brasileira das Empresas do Mercado Erótico e Sensual. Para levantamento dos dados, os sete maiores importadores de bonecas infláveis do Brasil (correspondentes a mais de 90% de toda a comercialização desses produtos eróticos no país) foram convidados a responder um questionário com perguntas descritivas e objetivas. A intenção era traçar um panorama fidedigno do comércio de produtos eróticos infláveis, como você pode ver com as nossas conclusões sobre esse mercado.

Confira as estatísticas e saiba onde estão e como se comportam os consumidores brasileiros de produtos infláveis de qualquer espécie.

Questão de Gênero

Todo mês, cerca de 1200 produtos eróticos infláveis são vendidos em todo o Brasil, sendo que o maior consumo está na Região Sudeste, seguida pela Região Sul do país. Ao todo, 85% desses produtos comercializados são do gênero feminino; 13% são figuras masculinas; 1% constitui-se em modelos femininos com órgão genital masculino; e 1% engloba modelos de animais. É importante lembrar que 100% dos bonecos e bonecas infláveis vendidos no Brasil são importados, pois não há fabricação nacional.

Público exigente

No Brasil, os consumidores de produtos eróticos infláveis preferem ter em casa bonecas e bonecos fabricados em Cyberskin, material que imita a pele humana com perfeição. Além disso, fazem questão de ver cabelo de verdade na cabeça dos seus bonecos, não dando muita importância para a pelugem que cobre a vulva das “moças” infláveis.

Falando nas partes baixas, 80% dos produtos infláveis comercializadas por aqui vêm com três orifícios de penetração, devendo ser fabricados com material realístico e possibilitando a remoção da parte da vagina e do ânus (principalmente para que possa ser feita a correta higienização).

Quanto à roupa, os consumidores adoram bonecas infláveis que usem lingeries sexy e a famosa fantasia erótica de colegial. Já a maquiagem é item fundamental para as sex dolls fazerem sucesso entre os brasileiros. Por isso, batom bem vermelho e sombra nos olhos jamais podem faltar. Os bonecos infláveis geralmente também têm a boca vermelha, assim como a sedutora ovelhinha inflável.

Em relação aos modelos masculinos, o boneco mais conhecido no Brasil é o John: moreno, magro e com um pênis enorme que vibra! É possível encontrá-lo nas posições sentado, agachado, ajoelhado e de quatro. O campeão de vendas é o exemplar que permanece de pernas e braços abertos e faz um papai e mamãe como ninguém…

Tamanhos preferidos para o pênis 

Exigência dos consumidores

Os brasileiros dificilmente compram uma boneca inflável se ela não vier com olhos que abram e fechem durante a transa. Ou seja, a boneca deve manter seus olhos fechados sempre que estiver deitada, abrindo-os instantaneamente quando colocada na posição vertical.

Já quanto às medidas das “moças” artificiais, geralmente elas vêm com 1,60 m de altura, e se fossem mulheres de verdade não pesariam mais que 50 quilos. É importante que a cintura delas tenha apenas 60 cm, igual à cinturinha fina das campeãs nos concursos de Miss Universo.

Ao todo, são necessários 15 minutos para que a boneca esteja completamente cheia e esteja pronta para o uso!

Quanto custa a brincadeira?

Quem gosta de ter em casa uma mulher inflável sempre pronta para atender aos seus desejos precisa desembolsar quantia considerável… A média de preço dos modelos mais vendidos nas lojas é de 330,00 Reais.

Já os modelos mais caros têm o rosto modelado como uma manequim de loja e vêm com orelhas realísticas, boca com dentes, maquiagem impecável, olhos com cílios e cabelos quase reais. Para ter um exemplar desses em casa você irá pagar entre 1500 e 2000 Reais.

Vale lembrar que as bonecas do modelo “pornô Star”, com elementos realísticos e vibradores, estão entre as mais caras vendidas nas lojas virtuais. Uma das bonecas mais famosa é a réplica da atriz pornô Tera Patrick, que custa cerca de 2500,00 Reais. Ela tem a boca e os orifícios fabricados com um material especial e vem com minivibrador e cabeça realística; nas mãos e nos pés, as unhas são impecavelmente pintadas… 

Hospital de bonecas infláveis

Em São Paulo você encontra o Hospital dos Vibradores, que também conserta todo e qualquer produto erótico inflável. Tudo é feito com a máxima discrição, justamente para preservar a sua privacidade: é possível enviar e receber seus “brinquedos” pelos Correios, sem qualquer constrangimento!

No Hospital, quase 90% dos consertos são efetuados apenas na solda da boneca (que se abre, na maioria das vezes, na altura do quadril). Porém, de cada 10 bonecas, 2 não têm mais conserto e são devolvidas para o cliente.

Depois de reparadas, as bonecas tomam banho e são infladas para que seja feito o teste de vazamento, da mesma maneira que é feito com o pneu nas borracharias. O custo do conserto de uma boneca varia entre 20% a 30% do valor pago por ela. Isso porque muitas vezes é preciso usar partes do látex de outra boneca para consertar a sua boneca inflável.